Início das operações de usina de energia solar responsável por abastecer o sistema de saneamento da BRK Ambientaliental no MA 

Foto da Usina Solar de Timon no Maranhão. (Foto: Divulgação) 

A BRK Ambiental, maior empresa privada do setor de saneamento básico do país, anuncia o início das operações da usina de energia solar de Timon, no Maranhão, com capacidade de produzir cerca de 4.000 MWh/ano de energia limpa para as operações das unidades de baixa tensão de água e esgotamento das cidades de Paço do Luminar e São José de Ribamar.

O sistema que acaba de ser entregue corresponde a 40% do projeto idealizado entre a BRK Ambiental e a Athon Energia, empresa que investe, desenvolve e gere projetos em energia renovável e eficiência energética, em especial nos segmentos de autoprodução, geração distribuída e mercado livre.

Ao ser concluído, o projeto vai contar com duas usinas solares, instaladas nas cidades de Timon e Matões, e vai garantir a geração de 10 mil MWh/ano. A responsável pelo investimento das obras é a Athon Energia, com um valor total de R$ 25 milhões, parcialmente financiado por títulos de dívida verde (green bonds), ação que reforça o compromisso da iniciativa com questões relacionadas ao meio ambiente, impacto social e governança corporativa.

Com o projeto, a BRK Ambiental vai ampliar o compromisso de implantar projetos capazes de aumentar a consciência ambiental, reforçar a capacidade de investimento no Maranhão, por meio da economia gerada com custos energéticos, além de aumentar a quantidade de energia disponível em determinadas regiões do Estado, devido à energia injetada pela usina no sistema da concessionaria.

A energia elétrica é um dos insumos mais importantes para a operação dos sistemas de saneamento, pois Estações de Tratamento de Água e de Esgoto, além de todo o sistema de monitoramento e distribuição, demandam uma quantidade grande de energia. A energia elétrica é um dos insumos mais importantes para a operação dos sistemas de saneamento, pois Estações de Tratamento de Água e de Esgoto, além de todo o sistema de monitoramento e distribuição, demandam uma quantidade grande de energia.

Com o novo sistema operacional adotado pela BRK Ambiental, as usinas vão gerar 55% do volume de energia consumida nas operações no Maranhão, volume suficiente para atender cerca de 15 mil pessoas.

O gerente de Operações Lineu Machado e o Diretor José Mário Ribeiro da BRK Ambiental no MA. (Foto: Divulgação) 

Para José Mário Ribeiro, diretor da BRK no Maranhão “a medida é uma inciativa que confere ainda mais sustentabilidade a um negócio que é, em essência, sustentável. O saneamento básico busca justamente garantir a preservação do meio ambiente e, operar nosso sistema com os benefícios da energia solar e da geração distribuída, é um passo incrível nessa direção” diz ele.

Postar um comentário

0 Comentários