Insônia: saiba como minimizar os efeitos dos plantões noturnos no sono

Profissionais da saúde que atuam na linha de frente da COVID-19 estão tendo insônia durante a pandemia do novo coronavírus, aponta pesquisa da Associação Brasileira de Medicina do Sono (ABMS).

(Foto: Reprodução)

Para boa parte da população, dormir 8 horas por noite é um luxo. O ritmo agitado da vida urbana e o estresse do dia a dia são fatores que nos levam a dormir cada vez pior. Dados da Associação Brasileira do Sono (ABS), revelam que a população brasileira está dormindo cada vez menos. Em 2018, o brasileiro dormia em média 6,6 horas por dia, já no ano seguinte, 2019, passou para 6,4 horas. O Brasil tem ainda, 73 milhões de pessoas que sofrem de insônia.

O problema não está em dormir pouco, mas sim nas consequências que as poucas e, até raras noites de sono, podem causar ao organismo humano. Isso porque, é durante o sono que a imunidade é reforçada, células são renovadas e os radicais livres são neutralizados.

Para os profissionais da saúde que atuam na linha de frente da COVID-19 o desafio é ainda maior. Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Medicina do Sono (ABMS), 41,3% dos profissionais de saúde do país estão tendo insônia durante a pandemia do novo coronavírus. 

A psicóloga do Hapvida Saúde, Celine Chagas (Foto: Reprodução)


O sono desses profissionais afetados com a crescente no número de casos do novo coronavírus desencadearam outros problemas. A psicóloga do Hapvida Saúde, Celine Chagas, explica que a ansiedade, estresse, alteração na rotina e incertezas quanto ao futuro são fatores que têm contribuído para que as pessoas tenham dificuldades de ter um descanso adequado na hora do sono. “Com a pandemia da Covid-19, as pessoas passaram a se deparar com seus medos, ansiedades, receios, medo da morte ou de perder quem se ama, mudança repentina de hábitos. Tudo isso acabou mexendo com o sono tanto dos profissionais que atuam na linha de frente quanto da população de modo geral”, destaca.

Trabalho com plantões, o que fazer?

Não há dúvidas que quando o assunto são plantões noturnos, conseguir manter o sono em dias é um verdadeiro desafio, mas para te ajudar, separamos algumas dicas para melhorar o sono e a qualidade de vida de quem trabalha por turnos. Confira:

Determine suas horas de sono

Já falamos que planejamento e adaptação ao plantão noturno são fundamentais, sendo que você necessita de ambos para conseguir desfrutar de horas de sono reconfortantes. E, nesse ponto, é importante que você realmente determine quantas horas de sono dormirá por dia.

Pratique exercícios sempre que puder

Exercitar-se regularmente, independentemente da hora do dia, é fundamental para a saúde. O ideal é praticar alguma atividade poucas horas antes de começar o seu turno. Assim, o corpo recebe um “boost” de energia. Também não se esqueça de alongar algumas vezes durante o turno.

Alimente-se bem

Vale a pena reforçar que para uma boa noite de sono a alimentação é indispensável. Quando o assunto são os plantões noturnos então, uma boa alimentação é primordial para os profissionais que passam as noites acordados, assim manter uma alimentação saudável ajuda o organismo a garantir o equilíbrio metabólico. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário